Meralgia parestésica: o que é, sintomas e tratamento

Meralgia parestésica

Meralgia parestésica é uma mononeuropatia dolorosa, resultando em dormência ou dor na face anterior da coxa, devido a lesão do nervo cutâneo femoral lateral.

O nervo femoral lateral faz parte da inervação da coxa e é classificado como um nervo sensorial, tem sua raiz na vértebra lombar L3. A trajetória deste nervo inclui a passagem pelo ligamento inguinal, uma fita elástica localizada na virilha, próxima ao osso da bacia.

meralgia parestesica

Causas da meralgia parestésica

O que causa a meralgia parestésica é a compressão do nervo femoral lateral contra o ligamento inguinal, esta compressão impede que as informações nervosas passem normalmente pelo nervo, alterando assim as sensações.

Agora, o que faz com que haja esta compressão pode ser uma diversidade de fatores, os quais estão descritos abaixo:

-Vestimenta: roupas ou cintos apertados contribuem com a compressão do ligamento contra o nervo, pois apertam as duas estruturas uma contra a outra;

-Cintas: muitas mulheres recorrem às cintas modeladoras, que comprimem o abdome com o objetivo de afinar a cintura, porém este método pode causar a compressão do nervo femoral lateral;

–Gravidez: pode contribuir com a compressão do nervo, pois neste período, os órgãos internos da mulher se comprimem para dar espaço ao bebê;

–Obesidade: este é um fator predisponente, pois o acúmulo de gordura na região afetada pode fazer com que o ligamento inguinal seja comprimido contra o nervo;

-Distúrbios neurológicos: diversas agravantes relacionadas ao sistema nervoso central podem causar a disfunção do nervo femoral, como AVC, esclerose-múltipla, encefalite, mielite;

-Tumores e lesões: a presença de tumor ou lesão cerebral, vascular ou no cordão espinhal pode causar os sintomas da meralgia parestésica;

-Traumas: fraturas próximas ao ligamento inguinal podem empurrar o ligamento contra o nervo, causando a compressão;

Sintomas da meralgia parestésica

  • Dor;
  • Queimação;
  • Dormência;
  • Formigamento;
  • Anestesia;
  • Choque;
  • Pontadas.

Além das sensações, há relatos de pacientes que perceberam queda e falta de crescimento de pelos na região afetada. O local da dor e das sensações é especificamente na lateral externa e na face frontal da coxa, com a extensão desde o quadril até próximo ao joelho.

Tratamento para meralgia parestésica

Tratamento conservador

A partir da avaliação inicial, é possível definir o tratamento respeitando o perfil do paciente, isto é, se a paciente estiver grávida, o tratamento será adequado a sua condição, da mesma forma, se o paciente apresentar obesidade, o tratamento será direcionado para sua realidade.

  • Redução do peso: é preciso que o acúmulo de gordura na circunferência abdominal seja reduzido, para que haja descompressão do nervo femoral;
  • Uso de roupas mais folgadas: como foi falado, é preciso vestir roupas que não comprimem a região da virilha e da cintura, por isso, recomenda-se o uso de roupas mais soltas ou a interrupção do uso de cinta;
  • Compressa gelada: aplicar compressas de gelo ou de gel congelado para o alívio da dor, a aplicação deve ser durante cerca de 10 minutos, enquanto houver sintoma;
  • Fisioterapia: para o alívio da dor local e dos casos em que há irradiação da dor para a lombar e outras regiões;
  • Acupuntura: também para o alívio da dor, é bastante indicado para grávidas.

Os analgésicos são indicados para o alívio da dor, mas é importante que seja com recomendação médica, principalmente quando a paciente estiver grávida. Os anti-inflamatórios, por sua vez, devem ser administrados aqueles que não possuem hormônios. Outros fármacos podem ser utilizados no tratamento, como antidepressivos tricíclicos ou anticonvulsivantes, estes são administrados visando ao auxílio da perda de peso.

Tratamento cirúrgico

Há, por fim, a última alternativa de tratamento para a meralgia parestésica: a cirurgia. Os casos reincidentes e os casos que não apresentam respostas a nenhuma intervenção anterior deverá passar pelo procedimento cirúrgico

Há dois tipos de cirurgia neste caso: a neurectomia ou a neurólise. A neurectomia consiste no corte de um segmento nervoso específico, no caso, do nervo femoral lateral, a neurólise, por sua vez, consiste na liberação do nervo de alguma condição que esteja impedindo seu funcionamento natural.

A incisão pode ser feita horizontal ou verticalmente a uma distância de menos de 3 cm da espinha ilíaca anterossuperior, localizada pelo cirurgião, assim, o nervo femoral lateral ficará exposto e poderá ocorrer a intervenção direta.

A intervenção cirúrgica resulta na regressão dos sintomas na maioria dos casos. O pós-cirúrgico inclui os cuidados básicos com a cicatriz, a administração dos medicamentos prescritos pelo médico e o acompanhamento posterior, além da adoção de hábitos que evitem a recidiva da meralgia parestésica.

Compartilhe a informação
Quadril-Brasília
Quadril-Brasília

Dr. Márcio R. B. Silveira, criou a Clínica Salus Ortopedia, Fisioterapia e Acupuntura em Brasília / DF, para atuar principalmente no tratamento de lesões de cartilagem, buscando sua reparação e transplante; rupturas ligamentares articulares e sua reconstrução biológica e prevenção; tratamento da artrose, com medidas medicamentosas e artroplastias; tendinites e rompimento de tendões provocadas tanto por atividades esportivas, como por alterações degenerativas; fraturas em idosos que apresentam ossos mais frágeis; e enfoque na reabilitação muscular e postural, através de protocolo exclusivo baseado na análise cinemática da marcha.

No Comments

Escreva uma Mensagem ou Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *